photo-12

Essa metodologia, desenvolvida por Stephanie Lee, leva em conta a sua energia mental disponível para realizar as tarefas ao longo do dia. Segundo ela nossa energia mental é limitada alguns psicólogos comportamentais chamam essa limitação de fadiga por decisão.

PUBLICIDADE

Fazendo uma analogia com os games, a sua energia mental tem uma “barra de energia” e que ao longo do dia vai se desgastando de acordo com as tarefas/decisões que você vai fazendo/tomando.

Pela manhã é quando nosso cérebro está com sua barra de energia completamente cheia e você consegue lidar mais claramente com seus pensamentos e decisões. Então, como vamos tomando decisão atrás de outra decisão através do dia (vestir o cinza ou o cinza-escuro, comer cereal ou pão, fazer a tarefa A ou a tarefa B) essa sua barra de energia vai reduzindo.

Algumas tarefas/decisões detonam mais a barra de energia do que outras e assim, sua capacidade de lidar com as tarefas, grandes decisões e problemas, simplesmente vai esvaindo-se. E finalmente quando a barra de energia zera, você entra em um estado mental zumbi e nele um impulsivo desejo de se afastar de várias de suas metas (comer junk food, procrastinar como um campeão mundial, ficar deitado como se fosse uma baleia encalhada) toma conta do seu ser e Bum, quando menos você espera, algumas de suas tarefas importantes simplesmente ficam para depois e isso certamente te causará problemas.

É fato, sua energia mental não é ilimitada e posso adicionar ainda o fato de que usar estimulantes para tentar ganhar alguma energia extra não é um método eficaz, pois o efeito passa rápido e logo que passa, você se afunda ainda mais na sensação de zumbificação. Por isso, usar de forma inteligente a sua energia mental é extremamente importante.

Listas de tarefas podem te ajudar nisso, afinal de contas, elas são um mapa para te guiar ao longo do seu dia, maaaaaasss uma lista de tarefas simples sem uma análise pode te induzir a gastar energia mental que deveria ser poupada para uma tarefa realmente importante, ou uma tarefa importante deveria ser colocada em primeiro lugar para garantir que o máximo de energia está disponível para ela ser concluída com alto nível de engajamento e consequente qualidade.

Opa, isso quer dizer que temos que ter FOCO e saber PRIORIZAR. Eu nem falo sobre isso aqui no Balanço Focado né?

Mas como você pode fazer isso???

Vamos à técnica da nossa amiga Stephanie.

Quando você acorda, seu cérebro tende a estar mais energizado, mais fresh. Nesse estado, tarefas que requerem uma energia elevada ou cargas elevadas de criatividade, tais como: aprender uma nova habilidade, escrever algum conteúdo, lidar com algum desafio, necessariamente precisam ser feitas quando se tem essa energia toda disponível o mais cedo possível. O quanto antes você lidar com elas dentro do seu dia, você garante que aquilo que é importante será de fato com o seu melhor “eu”.

À medida que o dia passa e você percebe que está virando o pó da bolacha, seu cérebro começa a ficar frito (fried) e veja só, alimentos fritos são ainda muito gostosos, o que quer dizer que estar nesse estado de cérebro frito ainda dá para fazer alguma coisa, mas não as mesmas coisas que você faz quando está com a carga total.

Existem tarefas que são perfeitas para serem executadas quando você está com baixa energia mental. Eu chamo esse tipo de tarefa de “brain dead tasks”, ou tarefas para um cérebro morto (abstinência de Walking Dead dá nisso, rsrsrs), como por exemplo: checar sua rede social, participar de reuniões, planejar, organizar, fazer exercícios físicos, responder e-mails e terminar tarefas administrativas.

É importante ou urgente?

Uma tarefa importante pode ser identificada como aquela que você sabe que precisa ser feita, ela trará um baita impacto positivo na sua vida profissional ou pessoal, mas necessariamente ela não precisa ser feita nesse exato momento.

Uma tarefa urgente geralmente tem um prazo apertado e alguém te importunando para poder entregar logo.

Agora, é fato, nem tudo pode ser urgente!

As tarefas urgentes fazem você ter que agir, pois se você não agir rapidamente, haverá consequências provavelmente imediatas. Quer um exemplo: um amigo seu se acidenta e requer cuidados médicos imediatos. É um exemplo extremo? Sim, é definitivamente urgente e sensível.

Bom isso já te ajuda a ter uma pista sobre o que são coisas urgentes e coisas importantes para serem feitas, coisa que somente você pode fazer. Fazer exercícios físicos e concluir o TCC, são ambas coisas importantes (que inclusive podem virar urgentes), mas uma requer um nível de energia mental e a outra requer outro nível de energia mental.

Lembre-se apenas que as tarefas não urgentes e não importantes precisam ser empurradas para a parte mais tarde do dia possível quando seu cérebro está definitivamente frito.

É empolgante ou odioso?

Entre todas as coisas que você tem para fazer, que são sua responsabilidade, você possui coisas que te agradam fazer e outras que não agradam tanto assim.

Vamos imaginar que você tem uma importante apresentação para ser feita para um cliente, mas você prefere que caia um sino de igreja no seu pé do que fazer a apresentação. Mas você também tem um projeto de um video que você está super empolgado para iniciar. Ambos são importantes, mas você odeia um e está preso sem poder fazer o outro.

Nesse caso, dê prioridade ao que você odeia, pois vamos encarar, você vai achar todas as desculpas do mundo para não fazê-la e vai desperdiçar energia e tempo nisso. Dedique-se a fazer a apresentação e ao concluir, você estará livre para fazer a outra atividade que gosta.

Como categorizar e priorizar?

Baseado no que acabamos de ver agora a pouco, devemos categorizar e priorizar nossas tarefas da seguinte forma:

a) Fresh:
Tarefas importantes, que necessitam de criatividade e que odeio;
Tarefas importantes, que necessitam de criatividade e que adoro;
Tarefas urgentes, que são sensíveis no tempo de execução.

b) Fried:
Tarefas importantes, que necessitam de médio poder mental;
Qualquer coisa que seja rotina ou requer baixa energia mental e que são não importantes ou não urgentes.

Como você já deve ter percebido, aqui a sacada é ficar ligado em como você está mentalmente, para poder fazer as priorizações daquilo que precisa ser feito te garantindo tranquilidade e até uma certa satisfação quando chegar o momento de fazer as tarefas que não requerem tanta energia mental assim. A palavra do jogo é saber priorizar e direcionar a energia mental para as tarefas que realmente vão fazer diferença em seus resultados profissionais e mesmo pessoais. É em última instância, saber balancear o seu foco.

Um abraço Focado!

Fernando Sobrinho

Artigo inspirado no original que pode ser visitado nesse link: http://thefyslife.com/article/fresh-or-fried-productivity/

Não fique aí quietinho, se quiser dar um pitaco, esse espaço aqui é seu!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.