balanco_focado_stressEm primeiro lugar, é importante reconhecer que o estresse não é o problema em si. Na verdade, sem essa ferramenta biológica, dificilmente você estaria lendo esse artigo e eu dificilmente estaria escrevendo ele, pois foi o estresse que nos ajudou a enfrentar todos os perigos e viabilizou com que a espécie humana pudesse crescer e dominar o mundo.

Aumento dos batimentos cardíacos, elevação da respiração, dilatação da pupila, são os reflexos que nos deixam preparados para correr ou lutar frente a algum perigo, entretanto, tente se lembrar aí quando foi a última vez que você sentiu essas sensações, mas não estava diante de uma ameaça real de morte?

PUBLICIDADE

O estresse nocivo é aquele que ao menor estímulo (um dissabor no trânsito, um feedback negativo do chefe, um mal entendido com um ente querido que desencadeia uma discussão) ou qualquer outro fato, faz seu corpo liberar adrenalina para fazer você entrar naquele modo de ataque ou fuga que comentei. Não são situações que ameaçam a sua vida e portanto não deveriam ter essa resposta orgânica.

Esse é o sinal amarelo que denuncia que algo não está correndo bem e está ligado a como você anda reagindo. E como você reage é a única coisa que está sob o seu absoluto controle.

Minha intenção não é substituir o diagnóstico de um profissional capacitado para isso. Então minha recomendação é que caso você já tenha tentado usar algumas dessas estratégias e ainda assim não está se sentindo totalmente confiante que o seu problema com o estresse não esteja sob controle, não fique parado, busque ajuda de um especialista.

Eu li vários artigos que falam sobre estratégias que se você utilizar, te ajudarão a ter um maior controle sobre como o estresse vai impactar sua vida. As cinco estratégias mais relevantes sobre tudo o que li e também com base na minha experiência pessoal são esses:

1-Evite os gatilhos de causa de stress:

  • Aprenda a dizer não. Muitas vezes acabamos assumindo compromissos demais em um tempo que não é suficiente para realizar as entregas que são esperadas pelas pessoas. Você não deve se sentir mal por dizer não, principalmente se está atuando em tarefas e compromissos que são prioridades. Abraçar o mundo não vai fazer as pessoas gostarem mais de você, elas tem que gostar de você pelo que você é, não pelo que você faz para elas;
  • Evite pessoas que te estressam. Sabe aquele colega de trabalho ou vizinho que só de chegar perto você começa a suar a se sentir ansioso? Que tal evitar ficar em contato com essa pessoa. Lembre-se que o responsável por preservar como você gasta sua energia é você mesmo;
  • Notícias ruins te estressam? Tá incomodado com tanta reportagem que aparece no jornal que fala de morte, de corrupção, de golpes, de guerras? Bom, você tem que controlar o que chega até você, evitar ficar vendo tanta notícia negativa é uma coisa que trouxe alívio imediato para mim, mas não fique alienado sem saber o que anda acontecendo, apenas filtre quais tipos de notícias que vão deixar você antenado com o que você julgar importante. A pauta é decidida por você, não seja um mero espectador e escolha ativamente o que você vai permitir chegar até você;
  • Discutir religião, política ou futebol é saudável. Você se irritar quando estiver discutindo esses assuntos não. Se invariavelmente todas as vezes que você discute esses ou outros temas, você acaba se irritando, tente mudar o ambiente com quem você trata esses assuntos, ou evite tratar desses assuntos com as pessoas que vão desencadear a irritação;
  • Organize suas prioridades. Tem que pagar uma conta hoje, o boleto está em casa e o internet banking funciona só até às 20hs? Se você tivesse feito o agendamento do pagamento dias antes, ou até o dia anterior, não ficaria estressado aí dentro do carro no engarrafamento em função de saber que vai acabar pagando juros por conta de não dar tempo de pagar antes das 20hs.

2-Enfrente os motivos que geram stress:

  • Converse com a pessoa sobre o que te incomoda. Tem hora que não é saudável ficar adiando uma conversa difícil. De forma respeitosa, mas assertiva, exponha o que te aflige de forma objetiva para a pessoa com quem você está tendo a dificuldade. Muitas vezes a pessoa não tem intenção de te causar mal, você vai se surpreender com isso, e se não der chance para a conversa franca, sincera e com intenção de resolver de forma positiva e saudável, vai ficar aí achando coisas que talvez nem existam, mas te causam stress;
  • Esteja disposto a um compromisso. A conversa do item anterior pode gerar a necessidade de ceder com algumas coisas e para uma boa convivência será importante você encarar esse compromisso, pois cumpri-lo irá garantir que o fator que te estressa deixe de existir;
  • Use melhor o seu tempo. Todos nós temos 24 horas, desde uma criancinha, até o dirigente do país mais influente do mundo. Como você decide usar as horas que você tem é uma decisão totalmente sua, está sob o seu controle. Você pode argumentar, mas Fernando, eu não tenho muita escolha, pois tenho que trabalhar, pois tenho que sustentar minha família. Sim, você tem escolha sim, não existe segurança em nada, e minha experiência pessoal prova que se não dá para mudar o que você faz atualmente, dá para mudar como você encara mas vou te contar sobre isso no próximo item.

3-Adapte-se como você encara os estressores:

  • Reenquadre o problema. Muitas vezes não estar satisfeito com um trabalho vai nos pondo em um estado que a motivação para continuar fazendo ele vai diminuindo até o ponto em que é um sacrifício grande ir para o trabalho. Mas você gosta do resultado que o seu trabalho gera, não é verdade? Ele propicia uma remuneração e com ela você faz muitas coisas que gosta. Faça a ligação entre aquilo que te proporciona prazer e o fato de que até então é o trabalho que você não gosta está gerando isso. Fazer esse exercício de conectar o que você gosta, proporcionado pelo trabalho que você faz, irá trazer aquela grata satisfação de continuar fazendo um bom trabalho.
  • Encare o que você está enfrentando como um desafio. É comum que um problema nos incomode, mas lembra que o que importa realmente é como reagimos ao problema? Então sair da percepção de que o problema é algo que te incomoda, te estressa, para uma percepção de que você lidar com ele vai gerar crescimento para você e isso muda toda a sua perspectiva sobre o problema. Imagine o exemplo: morar sozinho em outra cidade. É um problema que em algum momento da vida você vai encarar. Ao mesmo tempo que você vai deixar de ter os confortos que está acostumado, o morar sozinho te colocará em situações que você vai necessariamente ter que ser criativo para resolver essa situações e fazer isso vai aumentar a sua capacidade de ser independente, que é uma coisa muito boa;
  • Foque no que é positivo, capacitador e construtivo. A não ser que o seu trabalho seja cometer crimes (eu duvido muito que seja rsrsrsrs), qualquer que seja o seu trabalho, haverá vários aspectos que o tornam positivo, capacitador e construtivo. Lembre-se de quantos cursos você já fez estando nesse trabalho, quantas atividades e planos de ação que participou para resolver problemas que agora você pode usar até na vida pessoal, o simples fato de fazer ele bem feito, tornará a vida de alguém melhor, possibilitando você reconhecer o lado positivo. Não Fernando, ainda não é possível encarar de forma positiva. Se é esse o caso, monte um plano de fuga, se organize, planeje as ações e parta para o abraço sendo feliz em outro lugar ou fazendo outra coisa, sendo na mesma empresa ou não.

4-Aceite aquilo que você não tem como mudar:

  • Não tente controlar aquilo que não pode ser controlado. Brigar com um motorista que fecha você no trânsito, lembrar de erros do passado que não podem ser mudados láááá no passado (podem ser evitados apenas no presente e futuro), ter ansiedade sobre coisas que podem ou não acontecer no futuro, são gatilhos para o aumento do estresse e que tiram você do foco de enfrentar os problemas que você pode realmente resolver, interferir ou influenciar;
  • Desabafe com alguém. Muitas vezes verbalizar aquela preocupação ou o motivo do estresse com alguém de confiança, te dará uma nova visão sobre como é o seu problema de verdade e mesmo que essa pessoa não emita um conselho ou opinião, você vai perceber que o problema era grande só na sua cabeça;
  • Aprenda a perdoar. O ato de perdoar alguém é parecido com a sensação de ser desamarrado, de ser tirado um peso do seu peito, pois você segue em frente mais leve. Lembre-se que quem te causou alguma dor muitas vezes o fez pela ignorância de como você se sentiria em relação a isso, e mesmo que tenha feito pela maldade, a maldade está com a pessoa e não com você, então, qual a razão de deixar-se contaminar pelo mal do outro? Já ouviu a expressão que perdoar é divino? De que lado você escolhe ficar? Do que é divino ou do que não é? Ah, não poderia esquecer de avisar que você também precisa se perdoar, deixar pra trás o que foi ruim e carregar consigo apenas o aprendizado.

5-Abra espaço para alívio das pressões:

  • Inclua na sua rotina diária, atividades que vão te dar prazer. Ouvir uma música, fazer uma leitura, praticar meditação, dar uma caminhada (sem que seja por obrigação de atividade física), praticar algum esporte por prazer, sentar sem fazer nada com a pessoa que você gosta. Eu poderia enumerar aqui um monte de atividades, que talvez você não está praticando com aquela frequência desejada. Não foque nos motivos que levaram você a se distanciar disso, simplesmente comece. Ao chegar em casa hoje, simplesmente faça uma dessas ou qualquer ação que vá te dar prazer. É necessário trabalhar, é necessário ter responsabilidade, mas se não é para curtir um pouco dessa experiência que é estar vivo, qual o sentido de tanto trabalho e responsabilidades?

Além de evitar problemas sérios como depressão, fobias e até a famigerada Síndrome de Burnout, sabe o que você ganha quando toma as rédeas de uma vida com menos estresse (sim menos estresse e não nenhum stress, estamos entendidos)?

Sua qualidade de vida aumenta;
Suas respostas aos problemas são mais eficientes;
Sua satisfação pessoal aumenta;
Sua percepção de felicidade aumenta;
Seu relacionamento com as pessoas melhora;
Sua paz de espírito reina.

E aí? Vai ficar parado apenas reagindo mal ao que te acontece, ou vai praticar algumas dessas ações para você ter uma vida menos estressante? Sabe quem vai sair ganhando? Você!

Um abraço Focado!

Fernando Sobrinho

Não fique aí quietinho, se quiser dar um pitaco, esse espaço aqui é seu!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.