Hoje vou traduzir mais três itens dos nove que Becky Kane escreveu em seu artigo no www.blog.doist.com que tem o título “Por que Gerenciamento do Tempo não vai resolver seus problemas de tempo e nove coisas que irão fazer isso”.

Eu já disse mas não custa repetir que eu sempre faço a tradução de uma forma livre, o objetivo é de transmitir o conceito/ideia que o autor escreveu e não fazer uma tradução literal. À medida que o texto é traduzido, pode acontecer de eu colocar alguns dos meus insights também, para enriquecer o conteúdo. Sim eu sou bem atrevido a esse ponto rsrsrsrs.

PUBLICIDADE

Vamos aos itens 4, 5 e 6 do artigo.

4- Investir em atos de criatividade aleatórios

Quanto o tempo está escasso, é tentador preencher nossos dias com tarefas que nos fazem sentir imediatamente que somos úteis. Mas atos de criatividade aleatórios não são afinal de contas inúteis.

Um estudo que foi feito durante 13 dias com 658 jovens adultos descobrir que as pessoas que se envolveram em uma atividade criativa em um dia estavam mais propensos a experimentar emoções positivas e uma sensação de grandeza – um termo que os pesquisadores usam para se referir a qualquer tipo de senso de propósito e engajamento na vida – no dia seguinte.

Aproveite o tempo para fazer algo criativo pelo seu próprio bem. Cozinhe algo novo. Escreva uma carta ou faça um journal (aqueles cadernos onde escreve suas memórias diárias). Jogue um quebra-cabeças ou um desses jogos estimulantes para o cérebro. Qualquer coisa que te tire da rotina séria do dia a dia e o transforme em uma pessoa mais criativa, com uma mentalidade curiosa.

5-Leia um livro genuinamente bom

Mesmo os amantes de livros cedem às distrações da Internet. O escritor, empresário e “tecnólogo literário” Hugh McGuire escreveu sobre sua experiência de “afogar-se em uma enchente de informação digital fácil”:

“Eu estava distraído quando no trabalho, distraído quando com a família e amigos, constantemente cansado, irritadiço, e sempre nadando contra a maré de um ambiente indutor de estresse por conta da minha constante “coceira” por informação digital.”

Hugh McGuire

Pensando sobre o fato dele ter construído uma carreira ao redor de livros, McGuire percebeu que ele havia lido apenas 12 no ano passado. Foi quando então ele decidiu que precisava de uma mudança. Agora quando ele chega em casa à noite, ele põe seu notebook e telefone de lado (raramente um email enviado às sete da noite, não tem como esperar pela manhã seguinte) e ao invés de ligar a TV ou abrir o Netflix ou ainda navegar pela Internet, ele lê um livro.

“Ler livros novamente me deu mais tempo para refletir, para pensar, e elevou ambos os meus foco e espaço de criatividade mental para resolver problemas do trabalho. Meus níveis de estresse são muito menores e a energia está maior.”

Hugh McGuire

Ao invés de fazer uma tentativa fútil de manter-se atualizado com todos os conteúdos da Internet, abra espaço para formas mais lentas de consumo de informação.

6- Passe tempo com amigos da vida real

Se você gostaria de ser lembrado de quão pequeno você está fazendo com o seu tempo, dá um pulo no seu Facebook. Os feeds das redes sociais estão cheias de pessoas que são mais felizes, são mais bem sucedidas, mais completas na vida e mais conectadas com o mundo. Pesquisas sustentam o que muitos de nós já sentimos ser verdade – estar em redes sociais é estressante. A própria administração do Facebook já admitiu, percorrer as mensagens passivamente faz nos sentir piores.

Por outro lado, numerosos estudos mostram que amizades verdadeiras oferecem um amortecedor mental e emocional contra as pressões diárias de nossas vidas. Sentirmos apoiados pelos nossos relacionamentos baixam ambos os níveis de cortisol e pressão sanguínea – dois indicadores chave da psicologia do estresse. Então, da próxima vez que você receber um convite de um amigo e se sentir muito ocupado para aceitar, talvez você não esteja realmente muito ocupado para aceitar.

O que eu entendo como muito interessante é que ao mesmo tempo que a tecnologia nos trouxe muitas coisas boas, o mau uso dessa tecnologia nos torna ainda mais afetados, ansiosos e vazios.

Tenha sempre em mente que essas ferramentas são um meio e não o fim em si mesmas, aproveite o que elas trazem de positivo, mas não se deixe dominar por elas.

Um abraço tecnologicamente focado,

Fernando Sobrinho

Não fique aí quietinho, se quiser dar um pitaco, esse espaço aqui é seu!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.