Esse é o último post dessa série de artigos traduzidos que trago para você e que é originário de um artigo produzido por Beck Kane do Blog www.blog.doist.com. O artigo dela denominado “Por que Gerenciamento do Tempo não vai resolver seus problemas de tempo e nove coisas que irão fazer isso” segue com essa conclusão e um pequeno resumo que comento cada um dos nove itens que ela sugere que façamos como estratégia para conseguir fazer mais com o mesmo tempo que temos.

Segue a parte da tradução da conclusão do artigo dela: 

PUBLICIDADE

Eu reconheço a ironia em escrever uma lista de coisas para fazer para se sentir menos ocupado – elas, no fim das contas, vão apenas trazer mais itens para nossas listas as quais já sentimos uma grande culpa por não conseguir fazer tudo. Mas eu já escrevi esse artigo e você já o leu, então, eu vou deixar contigo mais algumas poucas regras você lidar com a vida menos como uma lista de tarefas sísifa (se você não conhece o Mito de Sísifo, segue o link), e mais como uma fonte inesgotável de admiração, alegria e significado que puder ser.

O que te dá sentido? O que deixa você se sentindo exausto? Faça mais do primeiro e menos do último.

Tente não levar os seus pensamentos negativos tão a sério. Pode ser que seja pedir demais pedir para eles calarem a boca totalmente, mas você pode sorrir para eles e então voltar para aquilo que você estava fazendo antes de ser rudemente interrompido.

Passe um tempo todos os dias longe de telas.

Resista a tentação de constantemente permitir-se distrair.

Veja tempo livre, não como uma falha moral – ou como uma oportunidade de otimizar sua vida – mas como um presente.

Nosso tempo é finito. Ao invés de sempre tentar administrar a merda, vamos nos dar permissão para desacelerar e saborear nosso tempo.

Muito bem, antes de fazer um pequeno resumo e comentário sobre cada um dos nove itens que a Beck nos sugere adotar como estratégias para ter mais tempo, é antes de mais nada, super importante eu dizer para você que de fato, é a qualidade das nossas escolhas que determinam se vamos conseguir ser mais eficientes em todos os aspectos de nossas vidas.

E as infinitas escolhas trombam de frente com o finito tempo que temos e se não tomarmos as rédias de nossas escolhas, vamos acabar sendo levados daqui para ali ao movimento das necessidades dos outros e negligenciando as próprias necessidades.

É impossível não atender as demandas daqueles que dependem de nós em qualquer aspecto da vida (filhos, esposa/o, gestores, subordinados, etc), mas fazer tudo o que esperam de você e você não dar um mínimo de atenção às próprias necessidades é o ponto de partida para entrar na espiral negativa da completa falta de controle shttp://balancofocado.com/2017/08/episodio-04-hoje-eu-falo-sobre-o-gtd/obre a própria vida.

Algumas metodologias de administração de tempo/tarefas, adotam uma abordagem top-down que nada mais é que encontrar o seu propósito e valores e a partir disso desdobrar em metas e objetivos e por sua vez em tarefas que vão te ajudar a atingir o seu propósito. É uma pena pois a vida opera exatamente ao contrário, ou você aos vinte anos de idade já tinha claro o seu propósito e valores? Certamente se você já chegou aos 30, 40 ou já está além disso, sabe que aos 20 anos você não sabia de nada, exatamente como eu.

Aqui peço a licença para comentar sobre a metodologia que melhor me atendeu principalmente no processo inverso das metodologias tradicionais. O GTD com uma abortagem Down-Top te ajuda a tirar os ruídos das pequenas tarefas do dia a dia, aquelas que não saem da sua cabeça enquanto você fica fazendo outras coisas e perdendo toda a concentração de estar presente e inteiro fazendo o que precisa. Depois de conseguir se desintoxicar de tanta tranqueira que afeta sua clareza mental aí sim é possível adotar o processo tradicional, pois você alcançou um equilíbrio para fazer isso. Essa metodologia já publiquei aqui e um episódio de nosso podcast está nesse outro link.

Voltando as estratégias da Beck, seguem meus comentários e visão pessoal acerca de cada uma:

1-Identifique os valores que você está sacrificando para ficar ocupado

É muito comum nos mantermos ocupados justamente para evitar ter que lidar com importante decisões a serem tomadas. Tente identificar se o acúmulo de tarefas que você está atraindo para sí não é uma tentativa de autosabotagem, que o evita de lidar com questões importantes de sua vida, adiando assim a solução delas e pior fazendo esses problemas ficarem ainda maiores do que são.

2-Aceite que você não pode fazer tudo

São 24 horas apenas no dia. E elas são democráticas, uma criança de 3 anos, um velho de 89 anos, o atleta de alto nível, um cidadão sedentário, um empresário de sucesso, um mendigo de rua, você e eu temos todos juntos as mesmas 24 horas no dia. Você pode fazer um monte de coisas com elas, mas a qualidade das coisas que você vai fazer determinará os resultados que poderá alcançar. A palavra de ordem é prioridade. Quais são as suas?

3-Faça uma coisa de cada vez (mesmo aquelas coisas não prazerosas)

Eu já falei e é uma coisa que eu não me canso de repetir. Nós somos organismos que a cognição só funciona se temos atenção plena ao que estamos fazendo. Então, nada de tentar ler um livro, ouvindo o jornal na TV, nem cuidando de panelas no fogão e ficar rolando sua timeline no Facebook ou Instagram. Você não se torna duplamente produtivo ao fazer duas ou até trÊs coisas ao mesmo tempo, no fim, você vai fazer cada uma dessas coisas meia-boca… E não adianta ficar adiando aquela tarefa chata não, não fazê-la aumenta a bola de neve.

4-Investir em atos de criatividade aleatórios

Essa dica é para te obrigar a fazer um break e deixar a mente operar no modo mais natural dela. Muitas ideias de grandes pensadores e realizadores da história da humanidade surgiram de momentos em que estavam relaxando, colocando o cérebro fora do turbilhão da rotina para que ele pudesse processar soluções para os problemas de forma criativa. Então, que tal fazer uma caminhada no meio da tarde e tomar uma boa xícara de chá ou café?

5- Leia um livro genuinamente bom

Quando foi a última vez que você pegou em um livro que não fosse para estudar algo relativo à vida profissional? Tem hora que aquele livro de ficção vai te fazer um enorme bem, maior que 10 livros de negócios ou qualquer outro tema ligado apenas a questões profissionais. Eu vou deixar uma lista de livros que você pode olhar aqui embaixo e caso se interesse em comprar, use o link que estou disponibilizando. Você vai agregar cultura de qualidade em sua vida e de quebra ajuda o Balanço Focado.

Em Busca de Sentido de Victor Frankl
Meu Everest de Luciano Pires
Os Quatro Compromissos o Livro da Filosofia Tolteca de Don Miguel Ruiz
12 Regras para a Vida um antídoto para o caos de Jordan Peterson
Trivium de Irmã Miriam Joseph

6-Passe tempo com amigos da vida real

Você é daqueles que participa de centenas de grupos de Whatsapp, de Telegram, no Facebook, no LinkedIn? Sabemos que a tecnologia ajudou a aproximar as pessoas reduzindo as distâncias e isso é excelente! Mas quando foi a última vez que você foi em um barzinho da sua cidade? Quando chamou aquele grupo de colegas do trabalho para ir assistir um filme no cinema? Vai lá, nem que seja nesses espaços de cowork que já mesclam com happy hour já vai dar para sair da rotina, conversar olhando no olho e com isso sentir-se mais humano.

7-Doe o seu tempo

Quantas vezes no último ano você se voluntariou ativamente e por sua vontade em fazer alguma coisa diferente e que não fosse só o seu próprio trabalho? Só a sua parte da responsabilidade? Tem muita gente que precisa de ajuda e as vezes um pouquinho de atenção a ser dada aos outros já servirá de um enorme benefício para você. Saiba que não importa pelas dificuldades que você esteja passando alguém está passando um sufoco maior, e ajudar as pessoas nesse nível vai acabar mostrando para você que aquilo que é um problemão para você, de repente, se torna bem menos complexo de lidar.

8-Passe 15 minutos do lado de fora

Dê uma caminhada no quarteirão aí de onde você trabalha. Dê uma caminhada no quarteirão de sua casa. Quando foi a última vez que você andou a pé até a padaria? Quando foi a última vez que você aproveitou e andou na chuva, sentindo as gotas baterem no rosto, sentindo o vento? Sinta também o calor do Sol, saia da sombra. Você vai perceber uma diferença enorme na sua vida.

9-Abra espaço para um pouco de quietude e solidão

Quietude e solidão. Não é lamentação e mimimi. Desconecte-se das redes sociais (sim, deixe o celular longe de você!) Mas nem música no fone de ouvido você deve usar. Separe um tempinho para efetivamente deixar sua mente fluir com o silêncio do ambiente. Essa experiência vai trazer uma voz que a muito você não deve mais estar escutando, essa voz é a sua própria, mas não a que está esbaforida do dia a dia, a que você deveria estar escutando mais para saber se o que está fazendo hoje está te trazendo satisfações, se há desejos ocultos e que só precisam desse espaço para poderem vir à tona e te inspirarem a ter uma vida mais plena e que te traga mais satisfação.


Gostou desse artigo traduzido e comentado? Compartilhe, comente e curta!

Um abraço gerenciadamente focado,

Fernando Sobrinho

Não fique aí quietinho, se quiser dar um pitaco, esse espaço aqui é seu!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: